A poesia me conforta

E dois anos se passaram sem você.

logo será quatro, seis, oito e tantos outros que virão,

como diz o poeta, “o tempo não pára”.

O que tenho na memória me basta. E dela posso

extrair as melhores recordações que faz agradecer aos

deuses pela oportunidade que eu tive de conviver com você.

Obrigado, meu pai!

Rio Branco, 22 janeiro de 2017.

Charles Brasil

casa da dilma ao fundo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s